Especial 100 anos da Ponte Grande – 1922: o centenário da Independência

Especial 100 anos da Ponte Grande – 1922: o centenário da Independência

No próximo dia 17 de março, a partida inaugural do estádio da Ponte Grande completará 100 anos. Para celebrar o centenário da primeira casa corinthiana, o Corinthians.com.br e o ArenaCorinthians.com.br vão contar, em uma série especial, a história do local.

No sétimo capítulo, um texto sobre 1922. Confira:

Cem anos depois de “as margens plácidas do Ipiranga” ouvirem “de um povo heróico o brado retumbante” — que é como o Hino Nacional brasileiro canta a proclamação da Independência por dom Pedro I —, o Corinthians conquistou o título de Campeão do Centenário, o qual, obviamente, vale por um século. Em 1922, o ano do Centenário da Independência, o campeonato não foi fácil, até porque todos os clubes participantes faziam questão de conquistar o título histórico.

Cada jogo era uma guerra e o público encheu o estádio Corinthiano, jogo a jogo. A Ponte Grande foi palco de  goleadas históricas: 5 x 0 no Gêrmania, 6 x 3 na Athletica das Palmeiras, 9 x 0 no Inter da Capital, 6 x 2 no Santos, 7 x 0 no São Bento da Capital! Contra o Sírio, o Corinthians atuou no Parque São Jorge pela primeira vez, ganhando de 1 x 0.

No jogo do título, o encontro entre o Corinthians e o Paulistano. Um duelo de 90 minutos em que as torcidas encheram de emoção aquela tarde de 4 de fevereiro de 1923 no estádio da Floresta. O resultado final foi apoteótico: 2 a 0 para o Corinthians. Tatu e Gambarotta marcaram os gols. A equipe campeã do Centenário ganhou do Paulistano jogando com Mário, Rafael e Del Debbio; Gelindo, Amílcar e Ciasca; Peres, Neco, Gambarotta, Tatu e Rodrigues. O troféu e a bola daquela partida entraria na galeria da Ponte Grande!


ASSINE A NEWSLETTER DA ARENA

Fieldset

 

Verification